Quando a Alma pergunta...

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Mude! Mesmo que doa...



Todos nós temos um conjunto de hábitos, crenças, valores, uma atitude, enfim, que está sempre se modificando. Toda vez que esse movimento nos traz algum tipo de dor ou desconforto, é hora de mudar. Mudar de atitude, mudar a postura diante da vida, a maneira de ver ou fazer. Mas o medo da mudança faz com que nos adaptemos à situação de desconforto para que tudo continue como antes, gerando assim toda sorte de descompasso.
Quando tomamos consciência da necessidade de mudança, parte da nossa experiência será queimar estoques de ideias que não são mais uteis. Teremos, assim, de viver um longo período de luto e luta na perda de tais mecanismos ou os transformaríamos em "uma massa flutuante, um monte inconsciente de virtualidades impessoais, um banco de nuvem sombrio prestes a derramar-se em uma chuva de dor sobre aqueles que não sabem reconhecê-la". O novo produz tanta ansiedade como o velho; mesmo costurado na dor, assenta melhor do que a roupa nova com tudo o que ela pode sugerir.
Mudanças são necessárias, mas precisam de transição para que as aceitemos. Conta-se que, num reino de guerra, havia um monarca que causava espanto. Cada vez que fazia prisioneiros, não os matava, mas os levava a uma sala onde havia um grupo de arqueiros em um canto e uma imensa porta de ferro no outro lado, e que nessa porta havia gravuras de caveiras cobertas com sangue. Então o rei fazia que eles ficassem em círculos e dizia: "Vocês podem escolher: morrer flechados por meus arqueiros, ou passar por aquela porta e suportar o que lá encontrarem. Todos os que por ali passaram escolheram morrer pelas mãos dos arqueiros". Ao término da guerra, um soldado que por muito tempo havia servido ao rei inquiriu-lhe sobre tal porta, ao que o rei respondeu-lhe: "Vá e veja". O soldado abriu vagarosamente a porta, cheio de receios, e deparou com raios de sol, um jardim magnífico e a liberdade.
Quantas portas nós temos deixado de abrir?
Vamos refletir...

(Texto extraído do livro: A sombra não assombra de Miriam Salete)

segunda-feira, 5 de maio de 2014


Sintonizando com o espírito materno!



No mês onde comemora-se o dia das mães, vamos refletir sobre como ocorre a sintonia do espírito reencarnante com a futura mamãe.

Ao perceber que a hora de voltar à vida terrena se aproxima, o espírito conscientiza-se da necessidade de preparar-se para renascer inciando um processo de preparação e orientação para reencarnar.
No plano espiritual existe um espaço destinado a acolher esses espíritos que se preparam para o regresso. Como as nossas maternidades aqui se preparam para receber os novos bebês, no astral, eles preparam-se para enviá-los a nós.
Alguns espíritos, por medo do que irão vivenciar na matéria, devido aos seus débitos passados, relutam em não voltar, recusam receber o preparo necessário para a futura reencarnação, nestes casos, eles "não querem" voltar, porque tem medo! Em situações assim, esses espíritos passam por um torpor que os impele a voltar compulsoriamente, como se morressem para a vida espiritual, vão se condensando até renascer sem passar por um preparo maior.
O organismo feminino vai abrigar esse espírito, as ligações afetivas ou os desafetos do passado, presos emocionalmente pelos vínculos energéticos, atraem a entidade ao campo vibratório da futura mãe.
Além da ligação espontânea, as equipes especializadas passam a dar assistência e promover a progressiva ligação fluídica do espírito como os fluídos perispirituais da futura mãe.
Dessa aproximação vibratória do espírito à "candidata" a recebê-lo origina-se uma crescente interpretação fluídica entre ambos.
Estabelece-se um intercâmbio energéticos nas duas direções, com efeitos bilaterais. O espírito vê-se envolvido na malha energética que o prende suavemente, como que expressando um convite ao regaço materno.
Do lado materno surge muitas vezes o desejo progressivo de engravidar, em função do estímulo psíquico gerado pela presença do futuro filho já ligado superficialmente à sua aura espiritual. Emmanuel, no livro Vida e Sexo, faz alusão ao desejo de engravidar, motivado pelas ligações da entidade ao campo fluídico da futura mãe. 
No perispírito materno ou psicossoma, a região que se especializa nesse processo é o Centro de Força Genésico, também conhecido como Chackra Genésico, já há milhares de anos pelos espiritualistas orientais. Apesar de o termo Centro de Força Genésico ser o referido pelos orientadores espirituais, utilizaremos a expressão Chakra Genésico pela praticidade da mesma e porque, historicamente, foi a primeira a ser criada.
O Chakra Genésico é o centro de distribuição de fluidos espirituais e energia vital do plano extrafísico para todo aparelho reprodutor. Controla não só o mecanismo da reencarnação, mas também todo o aparelho sexual do corpo físico. É um dos sete Chakras principais do corpo espiritual de todo ser humano encarnado.
As ligações energéticas do espírito em vias de reencarnar, que estavam ligadas superficial e globalmente ao perispírito materno, passam em um segundo estágio a se afunilar progressivamente, dirigindo-se para a região do aparelho reprodutor feminino, estabelecendo ligação mais forte com o Chakra Genésico especializado para essa função.
A essa altura, o envolvimento ainda não se efetua em nível de corpo biológico materno, mas os fluídos do espírito já buscam adentrar à matéria, irradiando sobre as células físicas pela sua simples presença.
No momento seguinte, a ligação da entidade reencarnante fará por meio de suas expansões energéticas ao fluido vital do óvulo materno. Como sabemos, todas as células vivas irradiam um campo energético decorrente da presença dessa energia vital nelas existente.
Essa energia vital é a que confere o princípio vital, ou princípio de vida, a todos os seres biologicamente estruturados.
A semelhança semimaterial, ou energética, entre o fluido vital do óvulo e os fluidos perispirituais da entidade reencarnante é que permite a ponte necessária para se estabelecer a conexão indispensável à imantação do óvulo.
Contudo, já podemos observar agora o óvulo ainda não fecundado, magnetizado pelo envolvimento dos fluidos perispirituais do nosso personagem principal: o espírito reencarnante. O óvulo assim magnetizado, permanece irradiando, refletindo as energias do espírito. Passará a espelhar o padrão energético que traduz a real situação evolutiva do espírito. Conforme seu adiantamento moral e intelectual, expressará uma determinada frequência de onda em suas vibrações, que se refletirão nas energias que o óvulo irá irradiar, envolvido por essa influência.

(Texto retirado do livro: Gestação de Ricardo Di Bernardi, p. 37-39, cap. 5. 2010).

Se pararmos para refletir sobre o texto de Bernardi, no livro Gestação, perceberemos o quanto a espiritualidade é minuciosa nos processos de reencarnação.
Antes da mulher engravidar na matéria ela engravida no espírito, ou seja, espiritualmente mãe, pai e bebê criam vínculos afetivos oriundos de vidas passadas que podem ser pautadas em situações positivas ou em débitos do passado. Por tanto, a mãe atrairá para fecundar seu óvulo o espermatozoide que mais se identificar com as características necessárias para que aquele espírito que precisa reencarnar por meio desta mãe e deste pai possa se desenvolver.
A ligação se dá muito antes da concepção propriamente dita, por isso, muitas mães sonham que estão grávidas antes de saber que estão, sonham com seus filhos, as vezes maiores que um bebê, encontram-se, conversam, fora em casos onde o espírito não aceita reencarnar e precisa voltar "à força", compulsoriamente.
O espírito no plano astral ao se preparar para o regresso, passa por uma etapa de condensação, diminuição de seu corpo fluídico, tal como se tornasse um bebê, durante a gestação vai esquecendo-se do que viveu e o do que irá viver,  acostumando-se a esta nova oportunidade de vida. Por este motivo é tão importante que a mãe e o pai conversem com o filho ainda no ventre, ou até mesmo antes da gravidez, preparando-o para esta nova etapa que para ele não será nada fácil.
Ser mãe é muito mais que conceber um filho, é conceder a um espírito milenar uma nova chance de evoluir e ser melhor! É uma grande responsabilidade, e por isso, Deus concedeu este dom as mulheres, que muitas vezes têm a dádiva de serem mães, mesmo sem gerar filhos em seu ventre, as vezes Deus utiliza outros ventres para oportunizar a maternidade aquelas que realmente vieram preparadas para ser, entender e viver na plenitude o que é ser MÃE!

Feliz Dia das Mães! Paz e Luz!

terça-feira, 28 de janeiro de 2014


Reencarnação x Ciência


Todos nós em algum momento da vida nos questionamos sobre como ocorre a reencarnação? Como justificar os bebês que nascem com diversas síndromes, deficiências, como explicar bebês que morrem prematuros, que nascem e morrem, ou nem chegam ao término da gestação?
São muitas questões que envolvem intimamente nossa Alma, pois está ligado ao que nós somos, de onde viemos e para onde vamos, questões que norteiam nossas existências.
Se buscamos um caminho religioso com certeza é porque em algum momento nossas Almas repletas de perguntas nos motivaram a sair da inércia e buscar respostas que justificassem individualmente a cada um de nós cada questão.
Uns encontram respostas nas religiões, outros em seitas, outros na ciência, enfim, cada um tem seu caminho e todos eles são válidos e importantes para nosso crescimento e evolução.
Começo hoje uma série de explanações sobre o tema reencarnação, de forma clara veremos como o espiritismo e espiritualismo tratam esse tema, levando em conta a Ciência.

Tendo em vista nossas inúmeras encarnações, vidas sucessivas, onde erramos e acertamos muito, podemos compreender que a existência atual se justifica em nossas experiências passadas, mas como assim?
Fomos gerados a partir de uma única fonte, a quais muitos chamam Deus!
Somos uma partícula dessa fonte que não se separa, mas multiplica-se, não perdendo nunca sua essência divina e sua conexão com a fonte, Deus.
Sendo assim, partículas, juntos formamos o Todo, por tanto, ninguém evolui sozinho. Precisamos experimentar juntos, passar juntos por experiências que nos farão traçar o caminho de volta a esta Fonte Deus, que é de onde saímos e para onde devemos voltar. Por isso estamos aqui nesta vida, para experimentar, aprender, corrigir e aperfeiçoar e então, estar aptos para voltar para "casa".
Levando em consideração as inúmeras experiências que tivemos, podemos dizer que criamos uma espécie de arquivo, um HD gigante que no momento do desencarne absorve nossas experiências mais importantes daquela experiência que termina e armazena dados relevantes para serem usados numa próxima encarnação.
Esses dados, serão acessados tão logo tenhamos que experimentar uma nova existência, e são eles que determinarão como serão nossos corpos, nossas habilidades, dificuldades e consequentemente nossos corpos físicos.
A Ciência afirma que no momento da fecundação trezentos ou mais de duzentos milhões de espermatozoides, brigarão nesta corrida para fecundar o óvulo, no entanto, apenas um será o grande vencedor.
Diz a biologia que o mais apto chegará primeiro, mas como assim? Como mais apto se vemos no mundo a décadas inúmeras crianças deficientes, com diversas síndromes e dificuldades?
Pois é justamente aí que entra o espiritualismo para nos auxiliar nessa compreensão que a Ciência ainda não é capaz de esclarecer.
De acordo com as experiências vividas anteriormente e com as histórias que experimentou com os pais envolvidos em outras existências, o óvulo materno atrairá tal qual um imã o espermatozoide que deverá fecundá-lo. Os espermatozoides carregam genes que têm uma vibração energética única. O óvulo como uma célula viva, possui energia vital ao seu redor, e é esse fluido vital que atrai o espermatozoide que contem as características físicas e espirituais necessárias para aquela existência para o óvulo.
Com isso, percebemos que nenhuma criança nasce deficiente por injustiça ou por problemas meramente físicos, e sim, porque trazem uma bagagem milenar de vidas sucessivas que mesmo não tendo consciência, o espírito vai vivenciar em cada nova vida pastas do arquivo de suas experiências passadas, por tanto, se nascem assim, existe um motivo maior para tudo isso, não são vítimas, não são espíritos impuros, negativos ou qualquer coisa do gênero, são seres que como todos nós, ditos "normais" estão experimentando essa existência e aprimorando suas almas a fim, de retornarem a Fonte, Deus!

Pensem nisso, Deus seria injusto? O que você acha?
Em breve, continuaremos falando sobre reencarnação, e outros temas que inquietam nossas Almas.

Paz e Luz!

Baralho Cigano!

Todos já ouviram falar em algum momento sobre o baralho cigano. 
Nós o conhecemos como um oráculo, meio adivinhatório, no entanto, não é bem assim, não é essa a verdadeira função do baralho cigano.
O Baralho Cigano é um código de linguagem que serve para enfrentar os acontecimentos que interferem em nossa vida diária.
Por ser um oráculo Nômade, indica quais forças vivas e vibratórias da natureza, devem ser acionados para equilibrar o mundo material com o mundo espiritual.
As cartas do Baralho Cigano, servem como orientação e ajudam na interpretação e compreensão do momento que as pessoas estão vivendo.
São cartas que representam forças vivas.
Através das cartas do Baralho Cigano, sabemos o que está acontecendo no presente e em um futuro próximo, tendo em vista, que tudo é mutável e nada está estagnado e muito menos é imutável.
Ele também é usado como orientador, dando várias opções e soluções, respeitando o ponto de vista de cada um.
Ao termo dessa sintonia com os fatos, tentamos assim, atingir o nosso equilíbrio interior, através de passos construtivos.
O Baralho Cigano possui 36 cartas, e cada carta tem um significado, à maneira que vão se posicionando, vão mudando de significado, e assim, trazendo vários tipos de respostas.
O Baralho Cigano não deve ser usado para manipular ou dirigir a vida de outras pessoas, mas sim, para orientar, instruir e auxiliar. O Baralho é um meio, e não um fim!
Não devemos nunca nos deixar manipular ou iludir por nenhuma crença, religião ou artifício, somos seres divinos e devemos nos reportar sempre a nossa luz interior.
Ao utilizar um jogo de Baralho Cigano, tenha em mente que você será orientado, que terá uma oportunidade de fazer algo diferente e melhor por você, não procure este trabalho como fonte de curiosidade ou como resposta para todos os seus problemas, e desconfie se alguém lhe der todas as respostas, pois estas são conquistadas apenas com nosso merecimento e trabalho em busca do nosso propósito maior.

Que energia mágica dos ciganos, e sua ciência nos ajudem a caminhar com menos dor, e que a luz dourada desses seres de luz possam iluminar sua jornada aqui na Terra, preparando sua alma para a verdadeira vida!

Paz e Luz!


Consultas com Baralho Cigano no Espaço Florais da Serra em Petrópolis, RJ.
Agende uma consulta, contatos por mensagem!