Quando a Alma pergunta...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Quando a Alma pergunta...

Todos nós, em determinado momento de nossas vidas nos perguntamos: O que estou fazendo neste mundo? Por que nasci? Qual a minha missão neste planeta? Pra onde vou depois de morrer?
Muitas são as questões que nossas almas trazem, e o primeiro sentido de estarmos vivos é justamente responder a algumas destas questões...
Responderemos a todas, no decorrer desta existência? Provavelmente não, mas o simples fato de questionarmos tudo isso, e desejarmos saber algo mais sobre a vida que levamos, é sinal de que nossa Alma existe, vive e pulsa dentro de nós, e está despertando para algo muito maior, que antes sequer imaginávamos que existisse. Quando nossas Almas começam a nos questionar, podemos ter certeza de que neste momento, é que começa nossa vida!
Gostaria muito de saber quais as inquietações da sua alma, o que se passa em seu coração, e que pudéssemos criar a partir deste momento um elo de amor e amizade, onde possamos nos ajudar mutuamente, e quem sabe responder algumas das questões impostas por nossas Almas!
Um grande e fraterno abraço!

Gisele Xavier

Um comentário:

  1. Gisele,

    Forte, heim?!
    A nossa verdadeira face, para quem sabe para onde quer ir, para quem é seguro, não pede para se desdobrar para ser aceito na sociedade , mas sim se espelha em pessoas que consideramos maiores, superiores e mais evoluídas que nós tantamos assim agir de maneira mais adequada, ou mais parecida com aquela pessoa. Mas para agirmos assim, é preciso cada um conhecer a si mesmo um pouquinho...
    Não precisamos agradar ou não contradizer, mas existem modos e modos de se fazer qualquer contestação ou manifestação. A contestação não deve ser feita por pura rebeldia. Muitas vezes a contestação leva a um novo caminho, um bom caminho, apenas diferente daquele costumeiro. A contestação, quando feita com amor, sinceridade e respeito deve ser bem vinda pois leva ao crescimento, a uma nova visão. A contestação é um modo de dizer o que eu não gosto de ouvir, para saber o que é preciso ser melhorado.
    Quanto ao sapos que precisamos engolir todos os dias: vivemos em sociedade e as pessoas tem conhecimento, discernimento, sabedoria e luz diferentes, por isso muitas vezes precisamos entender o outro, ou ter piedade do outro, não será isso que chamamos de engoliar sapo?
    Direcionar as pessoas não é querer manipular nem tão pouco querer colocar máscaras nas pessoas. Direcionar é mostrar às pessoas que existem outros caminhos, que acreditamos ser bem melhor que o que elas estão. Com humildade!
    No processo de crescimento espiritual vejo que é humano que eu tenha recaída e assim ter atitudes que não condizem com o que eu busco, com o que eu estudo, por isso, muitas vezes pode parecer que as pessoas são falsas por agirem de modos diferentes , mas na verdade só buscamos melhorar a cada dia, a cada situação.
    Ser bonzinho com uns e malzinhos com outros: precisamos buscar o crescimento, mas somos humanos em lenta evolução...
    Essa dualidade vejo mais como insegurança, medo, um modo de mostrar que não sei como fazer e preciso de usa ajuda!
    Tudo se resume em três coisas: amar a mim mesma; amar ao meu próximo; amar a Deus. Com amor tudo fica bem!

    Aceite a minha contestação com carinho e amor! rsrsrs

    Beijo grande!

    ResponderExcluir